aventuras em 4x4

quarta-feira, novembro 09, 2005

Portalegre

To be old and wise first you have to be young and stupid

Ao fim de dois posts quebrei a promessa com que iniciei este projecto de comunicação, alimentar este blog quinzenalmente até ao momento da partida.
Devo contudo confessar que não me sinto particularmente em falta, na medida em que um dos objectivos deste local era o de permitir manter-vos a par dos desenvolvimentos da viagem e em simultâneo suscitar a discussão e a troca de experiências. O saldo até ao momento é bastante negativo, havendo uma única contribuição a registar, mas é com grande satisfação que verifico que a resposta teve origem na Alemanha, provando assim que estas formas de “conversar” não conhecem efectivamente barreiras. Pode ser que a coisa se recomponha...

Voltando ao tema principal, nestas duas semanas houve desenvolvimentos importantes. O facto mais marcante foi a confirmação da entrada do Pai no Grupo, muito embora tenha vacilado quando soube que tinha que tomar algumas vacinas sob a forma de injecções. O Vasco lá conseguiu que o patrão lhe permitisse gozar umas ferias não programadas no final do ano e também já está a bordo. Isto significou que teremos um Land Rover a acompanhar os dois nipónicos e imagino que por agora o Paulo esteja aterrorizado com a ideia de ter de montar duas vezes o LR em pleno Sahara, esquecendo-se dos milhares de km que fez a bordo do “velho" discovery branco sem nunca ter necessitado de sujar as mãos para garantir o seu regresso a casa.

Na viagem a Portalegre penso que houve dois acontecimentos marcantes:
Os VW Touareg voavam nas poças de lama e o guarda-lamas do meu jeep ia ficando todo derretido à conta das últimas alterações realizadas no tubo de escape.
No que se refere aos VW não se pode dizer que tenham sido uma surpresa, mas a agressividade e o empenho com que a Jutta-Kleinschmidt dobrou cada curva deixaram-me boquiaberto. Penso que é altura de referir que sempre fui bastante machista no que se refere à condução, mas desta vez fiquei sem palavras e realmente gostava que ela tivesse conseguido ganhar, algo que lhe escapou, em parte, devido a problemas mecânicos idênticos aos que sofreram alguns dos companheiros de equipa, e, por outro lado, porque o Carlos Sainz correu num carro igual, e, não é de imaginar que uma mulher, nem mesmo a Jutta, consiga bater o grande Carlos Sainz em condições normais de corrida.
Voltando à questão do escape do meu carro, devo confessar que cada vez começo a acreditar mais na filosofia do meu Pai e do meu Tio, não te ponhas a fazer alterações aos carros e às motas. Para melhorar o ângulo de saída do GR decidi que tinha de mudar a configuração do tubo de escape, o resultado já está em 2-0 e espero que fique por aqui. O primeiro problema surgiu no dia de partida para Marrocos no ano passado, com o carro carregado descobri que o chassis tocava no escape em determinadas situações. Lá remediamos a situação com recurso às miraculosas abraçadeiras plásticas e seguimos viagem.
Há três semanas resolvi finalmente terminar com o defeito, mas a consequência da alteração introduzida teve resultados ainda piores, os fumos saíam demasiado perto do para-lamas traseiro e derreteram parcialmente o plástico. Espero que a situação esteja agora debelada de forma definitiva, mas confesso-vos que estou apreensivo e começo a ficar convencido que Eles têm mesmo razão.

FALTAM:
· 14 DIAS PARA SER DIVULGADO O PERCURSO DO DAKAR 2006
· 43 DIAS PARA INCIARMOS A NOSSA VIAGEM
· 45 DIAS PARA O COMEÇO DO DAKAR